TERRA PROIBIDA | Blog do Flavio Gomes | F1, Automobilismo e Esporte em geral
MENU

quinta-feira, 13 de outubro de 2011 - 13:24Futebol

TERRA PROIBIDA

SÃO PAULO (deu) - Ontem o governador de SP, Geraldo Alckmin, vetou o projeto de lei que liberava a volta das bandeiras aos estádios de futebol.

Em 1995, elas foram proibidas. Aconteceu uma briga monumental num jogo de juniores entre Palmeiras e São Paulo no Pacaembu e um rapaz foi morto a pauladas.

Não foi um mastro de bandeira que matou o rapaz. O estádio estava em obras e os irresponsáveis do governo de SP (que cuida da PM) e da Prefeitura (dona do Pacaembu) não se tocaram que aquilo era um arsenal gratuito à disposição de duas torcidas rivais e violentas. Em jogo sem cobrança de ingresso entre esses dois times, colocar suas organizadas dentro de um estádio cheio de entulho e material de construção deveria levar todas as autoridades à cadeia.

Mas o que foi feito? Proibiram as bandeiras. Faz 16 anos.

Quem tem hoje menos de 20 nunca frequentou um estádio em SP com bandeiras. Os estádios de SP são de uma tristeza atroz. Tudo é proibido. É proibido pintar o rosto. É proibido levar cornetas e rádios de pilha. Instrumentos de sopro, das velhas bandinhas, não entram. O prefeito acabou com as barraquinhas com sanduíches de pernil. Cerveja não pode, também.

Aliás, ontem eu fiz uma listinha de coisas que os sucessivos governos estadual e municipal andaram impondo em SP nos últimos tempos.

Não pode fumar em bar. Há uma perseguição às barracas de pastel nas feiras. Radares controlam nossas vidas: não fez a inspeção veicular? O radar te fotografa. Pegou um congestionamento e ficou preso no trânsito no horário do seu rodízio? O radar te fotografa. Às 11h a maioria dos botecos fecha suas cozinhas, porque à 1h reina o silêncio e o estado de sítio. Luminosos de néon desapareceram. Não pode usar celular dentro de banco. Não pode usar sacola plástica em supermercado. Não pode isso, não pode aquilo. Já não sei mais o que pode e o que não pode.

Mas fiquemos nos estádios e nas bandeiras.

Frequento estádios há 40 anos. Nos últimos 20, para arredondar, as torcidas uniformizadas viraram gangues. Marcam brigas pela internet, se pegam nas estações de metrô e nos terminais de ônibus. Nunca ninguém morreu atingido por um bambu ou por um cano de PVC dentro de um estádio. Mas as bandeiras se transformaram nas grandes vilãs. Proibimo-las, e a paz reinará no futebol.

Não há briga dentro de estádio. Quem já sentou a bunda numa arquibancada sabe disso. As brigas acontecem fora, e são anunciadas, agendadas com dia, hora e local. Mas as autoridades de segurança, incompetentes e preguiçosas, se abstêm de evitar que ocorram. Não prendem ninguém, morrem de medo. Proíbem as bandeiras, é mais fácil. Há 16 anos não temos mortes causadas por bandeiras, é capaz de dizer um desses. O governador Alckmin, talvez.

Meus filhos, que frequentam estádios, nunca viram bandeiras em SP. Quando assistem a jogos de outros Estados e países pela TV, acham tudo lindo. Ficaram felizes da vida quando eu disse que um projeto para liberar as bandeiras tinha passado na Assembleia. Perguntam todo dia quando vão poder levar bandeiras ao Canindé. Faltava só o governador sancionar a lei. E o cara veta o projeto por questões de segurança. Não tem a mais remota ideia do que está falando e fazendo, mas fala e faz. Tira a cor e a alegria dos estádios, e que se foda. Não discute a questão, não ouve ninguém, não tem o menor contato com a realidade. Incapaz de prover segurança à população, joga nas bandeiras a responsabilidade por sua incapacidade. Não há, repito, problema algum dentro de estádio de futebol. Faz tempo. Hoje as torcidas são separadas, há limite de ingressos para visitantes, as merdas todas acontecem bem longe e nada têm a ver com o futebol em si, com os jogos, com os eventos. De novo: são gangues conhecidas e identificadas, é só ir atrás, prender, processar, julgar.

Mas isso dá um trabalho… Então, proíbem as bandeiras.

Essa gente, como disse um amigo, está precisando de um banho de povo.

117 comentários

  1. Cássio disse:

    Flavio, parabéns!

    Disse tudo…

    Mas, saiba que este é o modo tucano de governar (O PT acho que não mudaria muito também). Vou dar um exemplo. A escola estadual onde estudei por 8 anos, passou a ter problemas com tráfico e consumo de drogas há alguns anos no período noturno. Sabe qual foi a solução dada pelos grandes estadistas? Fecharam o período noturno…não dá vontade de rir?

    Era bonito ver a festa de bandeiras rubro-verdes no Pacaembu, contrastando com o mar de bandeiras alvi-negras do Corinthians. Fumaça…fogos…papel picado…papel higiênico…sinalizadores…bandeiras de todos os tamanhos…bexigas..balões…rostos pintados…

    Estão deixando o futebol “asséptico”…o que você acha deste conceito de “arena” com cara de teatro? Já ouviu falar do movimento “Ódio eterno ao futebol moderno”? Vai lá: http://www.stopmodernfootball.com/

    Abraço

  2. geraldo nunes - Itajai SC disse:

    Com a exceção das sacolas de plástico (somos “contemporâneos”, e ainda pegamos sacos de papel nos supermercados, Kamarada Gomes), assino embaixo com tudo o que vc escreveu…

    Politicamente correto SUCKS!

  3. Lusitano XXX disse:

    Democracia em governo do PSDB ? Nem de brincadeira… Exemplo de democracia para eles é o que ocorreu com o responsável pelo Blog Flit Paralisante. Ele era funcionário público, e teve coragem de repercutir em seu Blog uma noticia da Rede “Glóbulos”, criticando um ato de representante do governo. Foi demitido, e está sendo processado até hoje. Não processaram a emissora, mas demitiram o funcionário. É igual a história do sofá, contada pelo colega aí em cima. Logo eles, que se apresentavam como “…vítimas da repressão, exilados políticos, etc…” Frequentava este Blog e fazia comentários lá, até corre o boato forte de que ele estava sob monitoramento, e os IPs. estavam sendo rastreados. Isto é democracia para eles. O lema é : ” …O que não der para privatizar, a gente deixa falir…” Mas gostam de um Factóide político, que só eles…

  4. Mário Campos disse:

    Mastro é sim, uma arma! Assim como o meu guarda-chuva, coitado, que já estava nas últimas quando fui ver que o meu Bugre tem sérios problemas de parar em pé no molhado. Parecia que o tim e de alvi-verde estava com pneus slicks e o adversário com pneus de chuva extrema, em um baita temporal! Mas voltando às bandeiras, acredito, sim, que a presença ostensiva da Polícia Militar, como existe e garante a ausência de brigas dentro dos estádios, como vem fazendo. Seria possível uma saída alternativa, com um pouco de criatividade. Torcedores cadastrados (sim, com nome, RG e foto) deixem os mastros de suas bandeiras com um número X de horas de antecedência na secretaria do clube. Ao adentrar o estádio, retirem os mastros. Ao deixar o estádio, deixam os mastros no estádio. Retiram após X horas (pode ser uma única hora, para haver a simples dispersão, quando a PM liberar). Apesar de que, por acaso, é proibida a utilização de bandeiras com mastro fora dos estádios?

  5. Eduardo Britto disse:

    Muitos vão para torcer, uns poucos vão para assistir a prática de um esporte, torcendo por um lado, mas admirando a trama toda dentro de campo. Meu caso.

  6. Eduardo Britto disse:

    As bandeiras são bonitas sim, mas prejudicam a visão do jogo, para quem está lá. Vou a estádio para ver o gramado todo o tempo, não para ver bandeiras. Assim comó é corretíssimo não fazer os outros fumar com você, em qualquer lugar fechado. Parece correto também não vender bebidas alcoólicas em locais onde, muitas vezes, os nervos ficam á flor da pele. Bebam antes e depois, não durante.

  7. Guerwin disse:

    Concordo com você. No entanto, para quem vai ao estádio para brigar, até uma caneta vira uma arma. Assim, concordo também com as restrições.

  8. diogo disse:

    Otimo Texto, tenho 24 anos peguei o fim das bandeiras quando era um menino e torço para meu filho um dia possa balançar uma um dia ..mais esta dificil …

  9. igor disse:

    universidades sao o que?????

  10. Gustavo Moraes disse:

    Legal ver alguém escrevendo aquilo que o torcedor que frequenta estádio pensa.

    Me chatea muito conhecer os problemas nos estádios e saber que nem 2% do ´público total de um jogo é composto por bandidos dos estádios. Se o poder público, com os valorosos e destemidos homens do 2 batalhão de choque da PM, tiverem vontade, eles conseguem acabar com a violência nos arredores dos estádios, ja q dentro não existem confrontos.

    Tb tenho esperança de um dia reviver as bandeiras e a festa nos estádios, pois foi isto que me fez apaixonar pelo futebol e frequentar os estádios a quase 20 anos.

    Bandeiras não são armas !!

    abraço!

  11. Roberto Fróes disse:

    É tudo a lesma lerda, como costumo dizer.
    Existem 2 mundos diferentes, o político e o real.
    Sou partidário dos antigos anarquistas.
    Govero – em todos os níveis – é uma merda!

  12. Marcio disse:

    Parabéns ao governador. São Paulo é um estado bem administrado comparado aos outros. Há problemas, certamente, mas ainda assim é melhor que o resto.

    • Lusitano XXX disse:

      É mesmo ? Um estado onde as delegacias fecham a noite, e vc. tem que andar mais de 15 quilometros para fazer um BO depois de ser assaltado? Eu passei por isto. Onde a Saude pública está sendo privatizada aos poucos ? Vai lá no Incor, como paciente do SUS… e depois vai como paciente de plano de saúde. Sabia que lá eles atendem planos de saúde ? Veja qual atendimento é melhor. Eu passei por isto… Quer meu número de matrícula do Incor, para conferir ? Coloque seu filho em uma escola pública. A mancha de poluição do Tietê já passou de Barra Bonita, e o Primeiro Neto, e futuro candidato a prefeito de SP, que nunca morou em SP, mas em Santos, que por acidente (?) Secretário do Meio Ambiente, está preocupado em fechar Shopping Center, prejudicando milhares de empregos diretos e e indiretos. Só para aparecer na mídia. Tenho Nojo do PSDB !

  13. Melo disse:

    Parabens pelo texto
    Sou jornalista como o senhor, mas sou membro de uma organizada. Frequento estadios há 18 anos e nunca vi uma
    pessoa morrer por causa de uma bandeira de bambu, elas sao oca, ou seja sao leves e fragil. eu ja levei uma “bambuzada”
    e nao aconteceu absolutamente nada.
    o que causam as mortes sao armas de fogo, barras de ferro, bomba caseiras
    Vamos relembrar um fato ocorrido há uns 7 anos, um time X enfrentou um time Y no morumbi.. as 2 torcidas
    marcaram por fone de brigar no tatupe, uma pessoa morreu. sao 25 km de distancia do futebol, ou seja, a briga
    foi culpa da falta de segurança publica, de um povo “maluco” que tem facil acesso a arma de foto, tem sangue
    frio para matar e sabe que a policia nao iria fazer nada e a lei branda nao iria prende-los

    Viajei por 6 paises, quase 70 estadios, quase 600 jogos e pouquissimas vezes eu vi brigas DENTRO do estadios,
    o estadios sao locais tranquilo e seguros. Sabem quais as 2 cidades que eu presenciei mais violencia?
    Goias e Belem, locais onde sao proibidas as bandeiras de bambu, mas sao liberados arma de fogo nas ruas e estradas

    No caso dos seus filhos, provavelmente as crianças levariam aquela bandeiras vendida no farol, sao pequenas, tem 200g,
    e estariam na maos de crianças inocentes, qual seria o mal que elas iriam causar? rsrs

    Desculpa me alongar
    Outra vez te parabenizo pelo texto

  14. Fernando Kesnault disse:

    E ainda tem gente que quer votar no Jose Serra??? Um dragão destes????….São Paulo é um é um hospital psiquiátrico gigante com diretores maquiavelicos….hahah

  15. carlos costa disse:

    pois é, apesar de tudo isso e muito mais, talvez até muito mais grave, espantosamente, o povo de s.p segue ha 16 anos elegendo as mesmas pessoas pra governa-los; como dizia um antigo empregado meu “uns gostam do olho outros da remela”.

  16. sidnei tarcisio disse:

    Flávio escrevi a seguinte carta no portal do governo, sei que ela não chegará ao Governador mas vale como gesto de indignação.
    Senhor Governador, leio que na data de ontem (13/10/11) vossa excelência vetou o projeto de lei que tratava da volta da utilização de bandeiras nos estádios de São Paulo. Sob o argumento de preservar a segurança nas referidas praças esportivas, pois bem. Tenho 32 anos e frequento estádios há 16 anos e nunca vi uma morte causada por uso de um bambú que é usado como mastro. Nos últimos 15 anos as bandeiras continuaram a ser proibidas e as mortes continuaram a ocorrer, lembrando que as brigas não ocorrem nos estádios, mas como é de conhecimento de todos, são marcadas com dia e hora agendadas e bem longe das imediações dos estádios. Aliás isso é um fato que tanto o Senhor quanto às autoridades da Secretaria de Segurança bem sabem, mas são incompetentes e incapazes o bastante para tentar coibir. Neste caso é mais fácil continuar a tratar as bandeiras como bode expiatório da incompetência do governo em resolver o problema da segurança nos estádios. Vossa senhoria que jamais deve ter sentado a bunda numa arquibancada não deve ter ideia do tamanho dos transtornos que, nós, abnegados torcedores enfrentamos para assistirmos ao nosso time de coração. Instalações precárias, transporte ruim, cambistas (os mesmos em todos os jogos que a Polícia Militar não consegue prender, impressionante)! Será que o Senhor Governador já viu uma partida nos estádios do Rio de Janeiro? É de morrer de inveja, tamanha a festa proporcionada pelas torcidas dentro dos estádios, com inúmeras bandeiras, inclusive. Hoje é mais legal chegar 1 hora mais cedo no estádio para ver a festa do lado de fora, pois lá dentro, agora, é tudo proibido. Seria interessante que Vossa Senhoria lesse o texto brilhante do jornalista da ESPN, Flávio Gomes, hoje no portal IG. O Senhor teria vergonha de tamanha incapacidade e incompetência que o Governo demonstra para tratar de assunto como este. Como jornalista, torcedor, frequentador de estádios, cidadão e contribuinte te daria inúmeras soluções realmente eficientes para resolver essa questão. De qualquer maneira é de se lamentar essa postura do Governo, lamentável!

  17. romeno disse:

    “Banho de povo”. Gostei, vou usar esse termo daqui para frente. Nada como ler artigos interessantes.

  18. sidnei tarcisio disse:

    Flávio, escrevi sobre o mesmo assunto meses atrás no blog http://nasentrelinhasdanoticia.zip.net. Tenho 32 anos e frequento arquibancadas desde os meus 16 anos e, sinceramente, hoje em dia é mais legal chegar 1 hora mais cedo ao pacaembu para ver os jogos do meu Timão, só pra ver a festa que a torcida faz do lado de fora do estádio do que pra ver o próprio jogo do lado de dentro. Hoje morro de inveja ao ver jogos principalmente no Rio de Janeiro, com festa que as torcidas fazem. No meu texto digo que ir a um estádio em SP se tornou algo chato, sem graça. As torcidas de SP estão prontas para fazer um espetáculo tão belo quanto às cariocas, basta ir ao pacaembu, ao morumbi, ao parque antártica e chegar mais cedo pra ver. Mas temos um governo de bananas que preferem ser omitir ao invés de atuar, de fato, onde o problema ocorre, ridículo!

  19. Leonardo Ramos/Mariana-MG disse:

    Aqui em Minas Liberaram as bandeiras em 2008 e se as torcidas organizadas fazem merda simplesmente proibem por um tempo de entrarem com bateria e bandeiras….. É o ideal não mais é uma forma de punição justa ao meu ver!

    A volta das bandeiras aos estádios de Minas é uma vitória que a mto tempo lutavamos…. e conseguimos!!

  20. Leonardo Cavalcante disse:

    Se um dia o Sr governador pegar a sua senhora o traindo no sofá de sua luxuosa, certamente o SOFA será o culpado!

  21. Fernando Szegeri disse:

    Parabéns pelo texto. Peço autorização para a reprodução em http://sodoiquandoeurio.blogspot.com
    Lembro que a Assembléia pode derrubar o veto do governador. Esse texto seria uma bela maneira de iniciar uma pressão popular pela derrubada do veto. Seria uma importantíssima batalha política, para além das palavras e dos blogues.
    Saudações!

  22. luiz oliveira disse:

    Não podem as bandeiras, caras pintadas, pó de arroz, etc, etc……..Mas o que o PCC permite : Facas, canivetes, pistola. Pode…….Estes desgovernos corruptos de extrema direita, submissos a bandidagem, o povo é só um detalhe…..E dane-se o povo que só serve para pagar imposto, multa e pedagio…E votar nesses pulhas…

  23. Walter F. Jr. disse:

    Está tudo aí. A incompetência e a falta de planejamento são sempre compensadas por alguma proibição. Não pode garantir a segurança da população, proíbe o saque bancário após as 22 horas. Não pode garantir a segurança no estádio, proíbe tudo. Em breve, esperem, as palavras obscenas serão proibidas, assim como os gestos espalhafatosos. Não constroem passarelas. Não regulam os semáforos. Não consertam o pavimento das ruas. A ordem é reduzir a velocidade. O que era 90 km/h virou 80 km/h, que depois virou 70 km/h e, agora, estamos na cidade quase parada, a 60 km/h. O próximo passo será reduzir a 20 km/h. Aí, os cofres da prefeitura lotarão de níqueis dos incautos.

  24. Sergio A. disse:

    Sr. Flávio,

    Comparar a Lei do Silêncio ao estado de sítio?

    Não é um jornalista imparcial escrevendo com a cabeça, mas sim um militante político escrevendo com o fígado …. ou alguém que nunca morou perto da “balada” tendo que dormir cedo para ir trabalhar no outro dia.

    PS. Para mim está claro: é SEU blog. Tem vezes que escreve o jornalista Flávio, tem vezes que escreve o cidadão Flávio. É assim vamos …

  25. Romualdo disse:

    Uma frase que venho dizendo há algum tempo: O mundo está ficando muito chato!

  26. Alemão disse:

    Flavio, tá ruim em São Paulo? Vai morar em Brasília…..

  27. Sergio SP disse:

    Só para constar: todos nós somos “o povo” brasileiro. Ficar esbravejando e apontando o dedo para os outros é ridículo.

  28. Ubaldir Jr. disse:

    O Brasil está precisando um pouco menos de “Estado”. No nosso país o “pai estado” está querendo tutelar cada passo do cidadão por intermédio de um sem número de leis esdruxulas que são gestadas todos os dias nas cabeças de nossos maravilhosos parlamentares dos 3 níveis de governo. Isso só faz gerar processos e mais processos que só servem pra girar o mercado de trabalho das esferas do judiciário. Benefício pra população mesmo, zero.
    O ideal é ter menos leis, aquelas básicas mesmo, que são estritamente necessárias. Mas que se faça cumprir essas leis. Não adianta ter uma infinidade delas e não ter ninguém que as faça cumprir.
    Um exemplo claro que tenho visto aqui em Goiânia: o MP interferindo na cobrança de estacionamento de um dos diversos shoppings da capital goiana. Querem instituir regras para a cobrança. Acho o seguinte: o terreno é privado, o investimento é privado, vai no shopping quem quer. Que o MP ou qualquer coisa do poder público fique longe. É interferir demais no funcionamento das coisas para o meu gosto.

  29. Banana Joe disse:

    Cara, exceto a afirmação sobre a proibição de fumar, que é ótima (O ar que eu respiro é o mesmo que o seu e não sou obrigado a fumar se eu não quiser ) o resto assino embaixo.
    O mundo tá muito chato.

  30. alberto disse:

    Flávio, mais do que tudo isso, é interessante a fome do governo estadual e municipal no bolso dos comerciantes. Fato último ocorrido na palhaçada do Center Norte. Existe perigo??? sempre exisitu? poderia acontecer uma tragédia? duvido. O mesmo risco ocorre no singapura, no Deic, na rodoviária do tietê, na Ericson, mas a prefeitura nao vai fechar esse locais. Descumpriu um ordem judicial que era de esvaziar o singapura, mas não exitou em multar o Center Norte. Acho meio estranha essa persiguição aos comerciantes e lojistas, imediatamente após o Kassab fundar um partidéco político. Deve estar precisando de grana ou querendo se aparecer. As próximas eleições chegam logo e esse cara vai concorrer ao cargo de governador. Talvez perseguindo as pessoas e se fazendo de Hobbin Wood ele consiga auto-promoção, mas na verdade, é só olhar as ruas de são paulo, os buracos, a sujeira espalhada, tanto física, como politicamente, pra não acreditar nesse cara e suas “boas intenções”. Queijo de graça, só em ratoeira

  31. G. B. disse:

    Manifesto meu apoio a proibição de fumar em bares, bem como na limitação de horário de seu funcionamento. Quanto a este último item, concordo com a medida porque sou vizinho de um e sei o quanto é irritante ter que suportar música ruim em volumes absurdamente altos no meio da madrugada.

    • igor disse:

      concordo em genero, numero e grau como diz minha mae. Vou alem, acho que o cigarro alem de ser proibido em bares e restaurantes, os fumantes deveriam ser obrigados a enfiar a quimba ( bagana, ou sei la qual e o nome dessa merda) no cu deles para nao sujar as ruas.

  32. Julio disse:

    Concordo com todas as palavras, recomendei…

  33. Antonio Carlos disse:

    Flávio, por 2 vezes estava indo da faculdade direto pro morumbi e por isso, tinha livros comigo. E as 2 vezes não deixaram entrar com livros.
    Como se meu pequeno livro que peguei na faculdade, literatura qualquer, representasse um perigo num jogo em que se pode entrar com outros objetos muito mais perigosos.

  34. Renato SANGUE JOVEM SANTOS disse:

    gostaria que me respondessem..
    sou de torcida organizada faz 7 anos..
    tenho 20 anos, TRABALHO E ESTUDO! sempre fui para estadios, dentro e fora de são paulo.
    amo viajar com a minha torcida para ver os jogos…
    voces TODOS estão julgando sermos bandidos, dizendo que TODOS torcedores organizados brigam!
    Policial que agride os outros sem mais nem menos, politicos que roubam e não estão nem ai pra saude do povo…
    vamos rever nosso conceito, torcer para um time que voce ama esta errado?

    lamentavel, no mais bela reportagem!

  35. Flavio Bragatto disse:

    Gomes, o “povão” brasileiro é um bicho tão relaxado, do tipo, vc dá a mão e ele quer o braço, que se ficar liberando as coisas, por menores que sejam, vira bagunça.

    Imagine só se liberassem menores de 18 anos, tirar carteira de motorista? Não pode, pq o brasileiro é uma anta! Não sabe aproveitar as chances que tem, ou se aproveita demais da situação, como queira.

    Acho que o estadio de futebol tem que ser proibido mesmo! Em 94 quando tudo isso era liberado, fui ao Brinco de Ouro (Campinas) assistir Corinthians X Guarani, logo depois da copa. As torcidas se revoltaram e começaram a se matar (e eu, de 17 e mais dois de 15 ali no meio). Naquele dia, eu vi um cara ser jogado de cima do tobogã há uns 10M de altura pelo menos, e isso a imprensa não mostrou. O cara caiu ha menos de 5M da gente e sangrou na arquibancada toda.

    Daquele dia, eu nunca mais pisei num estadio. Tenho medo!

    Sabe, acho lindo você levar os teus filhos no estadio para apreciar o que se tem que apreciar: o time do coração jogando um bom futebol. Mas o que você faria para defender seus filhos contra 50 marginais armados com paus de bandeira, rojões e pedras?

    Sem chance! Eu só piso num estádio de futebol novamente, o dia em que for proibido até do torcedor ficar em pé para comemorar um gol.

  36. Maurício1903 disse:

    NÃO AO FUTEBOL MODERNO

    futebol é do povo!

  37. Sergio Mendes disse:

    Flávio, se me lembro bem, o que motivou a proibição das bandeiras foi a briga entre as torcidas de Corinthians e Palmeiras, na final do Paulistão 1995, disputada em Ribeirão Preto. Veja as imagens dos torcedores se agredindo com os mastros das bandeiras.

    http://youtu.be/-gL5LgAQbQU

    Abs,

  38. galileu disse:

    concordo com voce em algumas proibições mas em outras sou o0brigado a discordar.
    ninguém aguenta ter uma barulheira em frente a sua casa de pois das 11 horas da noite, falar ao celular dentro de banco hoje é medida de segurança por causa da tal saidinha.
    fumar em bares e restaurantes, apoio totalmente, já fumei, mas larguei o vicio.
    deveria ser proibida a propaganda de bebidas alcoolicas sim.
    com bandeiras ou sem bandeiras, dá na mesma, os caras vão e escondem os pedaços de madeira, (cabos de picareta comprados em qualquer deposito de material de construção), em lugares combinados, (só a policia não acha), e depois do jogo partem apara a covardia.
    todos os times tem a sua torcida organizada, e como tal às vezes não tem como coibir o ingresso de verdadeiros bandidos em seus quadros.
    eu mesmo tinha na vila guilherme amigos que fazia parte da tua lusa, e eles não corriam do pau, chegaram a ser a torcida mais violenta de sp.
    fui ao estádio apenas uma vez, sai antes para não me envolver em confusão, e sinceramente, não gosto de futebol, não asisto nem seleção brasileira.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>