MENU

segunda-feira, 13 de abril de 2009 - 20:09Meus velhos papéis

MEUS VELHOS PAPÉIS

SÃO PAULO (teve pior, muito pior) – Os torcedores brasileiros lembram-se de Pedro Paulo Diniz como um mero piloto pagante, filho de milionário, que não fez nada de importante na F-1. Não é bem assim. Pedro disputou seis temporadas inteiras, largou em 98 GPs, defendeu quatro equipes diferentes (Forti Corse, Ligier, Arrows e Sauber) e fez mais, por exemplo, do que Zonta, Pizzonia e Bernoldi — pilotos que chegaram lá amparados por currículos bem melhores, mas não vingaram.

Ainda se aventurou como dirigente, sócio de Alain Prost, mas caiu do cavalo. Em 2002, trouxe a F-Renault para o Brasil e cuidou com carinho da última categoria-escola que o país teve. Fora da pista, pois, também fez muito mais do que a maioria.

Diniz pontuou em oito corridas, numa época em que só os seis primeiros marcavam. Foi quinto colocado nos GPs de Luxemburgo de 1997 e da Bélgica de 1998, ambos pela Arrows. E conseguiu seis sextos lugares: Espanha e Itália em 1996 (Ligier), Mônaco em 1998 (Arrows), e Canadá, Inglaterra e Áustria em 1999 (Sauber). No total, anotou dez pontos.

Se na sua época de F-1 (1995 a 2000) pontuassem os oito primeiros, como hoje, ele ainda teria na folha corrida quatro sétimos (Austrália em 1995, de Forti, uma façanha; San Marino/1996 de Ligier; Bélgica/1997 de Arrows; Europa/2000 de Sauber) e cinco oitavos (Brasil/1996 de Ligier; Canadá/1997 de Arrows; San Marino, Itália e EUA/2000 de Sauber). Seriam, no total, 17 provas nos pontos, o que está longe de ser uma carreira horrorosa.

Vasculhando minha velha papelada hoje, encontrei o press-release da Sauber do dia 13 de junho de 1999, quase dez anos atrás. Diniz largou em 18º e chegou em sexto, fazendo seu primeiro ponto pela Sauber. Seu companheiro, Jean Alesi, bateu na primeira volta em Jarno Trulli e saiu cuspindo marimbondos. “Antigamente não havia regras e os pilotos podiam fazer zigue-zague na largada que não acontecia nada. Agora tem uma comissão só para verificar isso”, reclamou, pedindo uma pena “pesada” para o italiano, que corria na Prost.

Pedro, por sua vez, contou que fez uma boa largada, passando em décimo na primeira volta, e que o safety-car o atrapalhou quando entrou na pista pela segunda vez (a prova acabou com SC). “Perdi duas posições na relargada para Ralf e Johnny”, lamentou, citando o Schumacher-pimpolho e Herbert, da Stewart. Para ler o texto, é só clicar na imagem.

37 comentários

  1. Harry disse:

    Flavio,
    Hoje escrevi um post que temos complexo de vira latas…
    E viva os Diniz , mecenas do esporte:
    Esse post do link abaixo foi para o grande JP Diniz
    http://www.webrun.com.br/comunidade/blog/home/id/2/idPost/604
    Abs
    Harry

  2. Nilton disse:

    Na boa, nada contra ser rico, adoraria ser. O duro é que dinheiro não compra talento.

  3. Silvio Taka disse:

    Ele foi melhor que o C. Fittipaldi…

  4. Huller Moreno disse:

    Bom post. Gostei de ler e tal.

    Também acho que o cara foi digno em sua passagem pela F1. Eu curti tb ele de dirigente. Como tb gostava de ver o gil de Ferran na Honda. Por exemplo…

  5. Eric disse:

    Só que o fato de ser rico não compra habilidade….é isso que eu quis dizer.Fico chateado porque muita gente não pode continuar por falta de um patrocinio.

    Me lembro bem do kart,que eu chegava com uma Pampa usada com um chassi e um jogo de pneus de chuva e os bonitinhos Fittipaldi e Diniz cada um com 608 lotado na traseira……4 chassis,8 motores,20 jogos de pneus…..para levarem cacete bonito do Rubinho e do Tony Kanaan.

    Sim,o pai do Rubinho não era rico não…..o do Tony ainda era bem de vida,mas 1/10 do que os bonitões aí podiam.

    Porque o Tony não foi para a F1???Porque a Parmalat patrocinava outro….

  6. paulo cesar jovino disse:

    Maior caloteiro que conheci

  7. Ronald Wolff disse:

    A Williams de Ralf era totalmente diferente em seu visual, do que estamos acostumados a ver…………era vermelha, branca, azul, amarea…………mas era muito mais bonita!!!

  8. Torcedor do Goiás Esporte Clube disse:

    fez mais do que eu na F1.
    Cáspita.

  9. Foca disse:

    alguns tongos ai de cima (dando nome aos bois, nilton, vede, sdl, antonio, eric) acham feio ser rico. esquecem que o senna era rico alem de que 90% dos pilotos de F1 europeus, japas e indianos entre outros tbm serem muuuuuitos mais ricos que o ppd e todos os brasileiros que correram na F1 juntos.

  10. Rodolfo Matos disse:

    Diniz era trabalho digno. Não fez feio.

  11. Guga. disse:

    Nossa, e o cara tem culpa por ser rico? É pecado ter dinheiro? Se ele tinha grana suficiente e decidiu isso, qual o problema? Dá-lhe recalque! Foi um bom piloto sim, e de todos da era pós Senna, só fez menos na F1 que Massa, Barrichelo e, talvez, Da Matta.

  12. Parada Gay disse:

    FG… ooooooou, FG, meu caro FG, grande FG… o FG que vez por outra fala umas bobagens só pra causar celeuma, mas que é muito necessário nesse autoamadobilismo brasileiro e que eu, na maioria das vezes, tanto gosto! O que aconteceu com você? Ou realmente vai ter patrô do Pão de Açucar, ou está frequentando a parada gay, junto com o casal ex “paga-pra-andar” + André Ribeiro, ou o Diniz comprou algum lote grande de ações da Lada. São algumas das poucas explicações para um post desses.
    Já estou vendo daqui alguns anos aparecer aqui um velho release da Renault e você dizendo que “o Nelsinho não foi tão mal na F1, pois em uma época em que a Renault fazia tudo pelo Alonzo, tomar em média 1,5 segundos do espanhol não é tão mal assim”.

    Não fica chateado não, nós te amamos mesmo assim e sempre amaremos!

  13. roger V. disse:

    Onde anda PPD now?
    -Acho que ele se esforçou legal…independente de ser quem é.
    Melhor que ficar rachando nas estradas não é?

  14. Filipe disse:

    Ele correu mais GPs do que esta turma toda e a maior parte dos resultados vieram em GPs em que foi até o final e muitos abandonaram. Sétimo lugar num GP em que 8 terminaram não é um feito (foi um GP em que o segundo foi o Panis de Ligier e o terceiro Morbidelli de Arrows!).

  15. Rodrigo Duarte disse:

    Por essa análise, realmente parece que o Diniz pilotou melhor. Mas nunca me agradou muito sua maneira de pilotar, nunca enxerguei nele um bom piloto. Desses, na minha ordem por competência, viria o Bernoldi, Pizzonia, Diniz e Zonta. Para mim, Diniz conseguiu alguns pontos por ser muito regular e não se envolver em confusão.
    De qualquer forma, eu entendi, ele fez mais que os outros pilotos e isso deve ser destacado.

  16. Henrique disse:

    De acordo com a minha matemática, Pedro Paulo Diniz teria feito 39 pontos se o sistema de pontuação fosse o atual. E 39 pontos para quem correu de Forti, Ligier, Arrows até que não é mal não.

  17. Luiz Eduardo disse:

    Certíssimos a Marília e o Marcelo Ivo. Muitos, mas muitos mesmo dos pilotos de F1 eram filhos de milionários, como Lauda, Ickx, de Angelis, de Cesaris, Rebaque, von Opel, etc,etc,etc. Se não fossem talvez não tivessem chegado lá. Portanto não vejo dmérito nenhum porisso no caso do PPD, aliás, sorte dele. E com FG falou, fez mais do que muitos outros, pois além de pontuarem só os 6 primeiros, o grid era de 20 a 30% maior. Brasileiro gosta de criticar negativamente quem faz sucesso, mas faria melhor se praticasse com o mesmo afinco a auto-crítica.

  18. o diniz não era nenhum gênio, mas era um piloto honesto. Me lembro que em 1997 ele deu uma canseira no Hill em várias corridas….e estava mto bem nos treinos do GP da Austria daquele ano… qdo depois dos dois primeiros treinos livres ele tava cotado até para a pole….mas no ultimo treino antes da classifcação o motor yamaha abriu o bico na reta dos boxes e foi td por água abaixo.

  19. Verde disse:

    Ele é a prova de que, se você quiser chegar à F1, andar em equipes médias e marcar pontos, você não precisa ter vencido sequer uma única corrida nas categorias de base. Basta ter progenitores abastados e patrocinadores polpudos.

  20. SDL disse:

    Como é que é ?”trouxe a F – Renault para o Brasil e cuidou com carinho da última categoria-escola que o país teve”, em primeiro lugar ele trouxe a F – Renault para o Brasil para ganhar dinheiro e é isso que ele conseguiu,quando o contrato com a Renault acabou ele e o André Ribeiro pegaram seus pés e foram embora sem olhar pra traz e sem dar importância para o futuro da categoria,A Renault dava 5 milhões em patrocínio para a categoria por Ano, onde as divisórias do Box eram compradas pelas equipes por R$ 10.000(e depois tiveram a cara de Pau de dizer que estavam doando as divisórias) e o prêmio de largada não era nem pago pela PPD e sim por outras empresas. Um evento como a F – Renault tinha um custo para ser organizado em torno de R$ 500.000 por ano,que foi o calculado para que a F – Brasil pudesse competir durante a temporada como a F – Renault fez antes,correndo em várias pistas do Brasil.Ah sem contar o dinheiro que o Diniz ganhou com a etapa de Salvador em 2005 que ficou em R$ 1.000.000,00 e era para ser disputado por cinco anos.Ah e outro detalhe o Diniz mau aparecia nos Boxes da categoria e só ficava escondido naquele motor home .

  21. leandro ramires disse:

    por isso que esse país é assim…o cara é rico…é…teve como bancar um “hobby” correndo de f1…teve…e como disse o flavinho..fez muito mais do que “fenomenos”, como pizzonia e cristiano da matta…..no brasil existe preconceito pra todos os lados…

  22. Thiago Schauenberg Pereira disse:

    Eu sempre escolhia o Diniz quando jogava o jogo de Formula 1 temporada 95 no Playstation1. Ao menos no videogame, ele sempre ganhava.

  23. Antonio disse:

    Só fez mais que os pilotos citados porque tinha a Parmalat por trás pagando para ele correr.

  24. Stephan disse:

    ha-ha! eu tenho esse papelzinho tambem! Velhos tempos em Flavinho!
    Grande abraco!

  25. Marcelo Ivo disse:

    essa turma é muito exigente com pilotos…

    o brasileiro “ama” o automobilismo mas não vai aos autódromos…
    “ama” o futebol mas não vai aos estádios…

    mas na hora de cobrar….tá sempre presente!!!

  26. Eric disse:

    Na verdade o patrocinio da Parmalat,na rede de mercadinho do papi,só se vendia isso….o resto,ficava em segundo plano…..ou seja,o papi pagava para a Parmalat bancar.

  27. Alvaro disse:

    Esse post mostra o grande perigo que corremos ao nos basearmos em números, estatísticas, fazendo parecer que o Pedro Paulo foi alguma coisa

  28. Marilia Compagnoni Martins disse:

    não sei pq algumas pessoas acham que é obrigação um piloto brasileiro ser igual a Senna, Piquet pai, ou Emérson

    qtos pilotos franceses vieram depois de Alain Prost???

    e se o bloq for patrocinado pelo Pão, qual o problema? Tem gente que acha pêlo (sim com acento pq até 31/12/12 eu posso usar a regra antiga) em ovo

    afff

  29. Rafael disse:

    Cool… o mais interessahet é que o PPD foi um piloto mediano na pista mas mais importante fora dela que Barrichelos, Massas e Sennas da vida (meu ídolo é o Ayrton, óbvio, mas nçao posso negar que sua vocação fora era mais para o altruísmo e auto-promoção do que com o esporte propriamente dito). E assim vive a F1: de foras-de-série (tem hífen?), de médios e de horrorosos.

  30. Mark Kweirotz disse:

    Interessante esses seus velhos papeis FG.
    Mas tem hora que “assusta” um pouco, pois me faz pensar como o tempo passa rápido…

  31. Nilton disse:

    A única vez que ví o Pedro Paulo “Filhino de PapaI” Diniz correr pra valer foi quando o carro dele pegou fogo na Argentina em 95 ou 96.
    O cara saiu do cockpit numa velocidade incrível…

  32. Mauricio disse:

    Que post mais esdrúxulo, esse!
    Vai ter patrocínio do Grupo Pão de Açúcar neste blog agora?

    RESPOSTA DO FG:

    É… Bom é seu comentário.

  33. Zé Dirceu disse:

    Gp de Luxemburgo de 1997, essa corrida foi a última vitória da Villeneuve não foi? Por quê o GP de Luxemburgo era disputado em Nürburgring e não em Luxemburgo? Arrows de 1997 era aquela patrocinada pela Zepter, Danka ? O motor era o Yamaha né? Com o nome de Judd?

  34. R/T disse:

    É, a conclusão que se chega é que categoria de base não serve pra muita coisa, vale o instinto, aliás dessa época da Forti o que se recorda é que era o caro mais lento do grid, coisa de 1,5 a 2 segundos mais lento que os ultimos da turma de tras

  35. Jackspeed disse:

    sei lá,junta todos os caras citados e se misturar de repende dá um meio-piloto…depois de piquet-senna os brazucas estão acabando com a reputação de pilotaços.

  36. xavante disse:

    …e fez mais, por exemplo, do que Zonta, Pizzonia, Bernoldi …e Barrichello

    video amador do senna testando williams http://www.youtube.com/watch?v=Ylbo3Ovj1TA

  37. luiz disse:

    Cá entre nós um braço duro que não conseguia ser regular a corrida inteira……
    Quando menos se esperava, lá ia ele cortar grama……

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>